Portal do Governo Brasileiro
Menu

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: Previc promove seminário jurídico

23/09/2011 16:41

Evento acontece em novembro e será gratuito

Da Redação (Brasília) – Com a finalidade de promover uma maior integração entre as carreiras jurídicas, principalmente entre os magistrados, advogados públicos e privados, a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), em parceria com a Unafe, AMB, Jusprev, Escola da AGU e a Escola Nacional da Magistratura, organizam o “Seminário de Previdência Complementar: Desafios Jurídicos Contemporâneos”.

O encontro, que tem como objetivo discutir os aspectos atuais da regulação da previdência complementar, tem a coordenação técnica da Procuradoria Federal junto à Previc e contará com a participação de especialistas sobre o tema e autoridades do setor.

Durante o evento, haverá, ainda, o lançamento da 10ª edição da Revista de Previdência, que é uma publicação voltada, especialmente, para a previdência complementar e terá a participação da Procuradoria Federal da Previc.

Inscrições – O seminário acontecerá no dia 24 de novembro, na sede da Previc, em Brasília, que fica no Setor Bancário Norte, Bloco N, Quadra 2, sobrejola. Os interessados em participar do evento deverão entrar em contato com a entidade organizadora a que está vinculado e solicitar sua inscrição. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas a partir do dia 03 de outubro.

Reforçamos que as vagas são limitadas e destinadas aos profissionais que mantém algum vínculo com as entidades organizadoras.

Informações para a Imprensa
Inaiá Sant’Ana de Menezes
(61) 2021-2074 / 2021 2015
ACS/Previc/MPS

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: Secretário-executivo do MPS defende previdência complementar de servidores

21/09/2011 18:30

Carlos Eduardo Gabas participou do encerramento do 32º Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão

De Florianópolis (SC) – O secretário-executivo do Ministério da Previdência Social (MPS), Carlos Eduardo Gabas, defendeu nesta quarta-feira (21) a aprovação do Projeto de Lei nº 1992 /2007, que cria o regime de previdência complementar para os servidores públicos federais. “A aprovação do projeto é um movimento pelo Estado brasileiro. É fundamental para o futuro do país enfrentar este debate no Congresso Nacional”, disse Gabas.

De acordo com secretário, não existe caixa que possa arcar com a conta da aposentadoria dos servidores públicos se nada for feito. Só no ano de 2010, o regime de previdência dos servidores públicos federais acumulou um déficit orçamentário de R$ 51 bilhões. A expectativa de crescimento é de 10% para 2011.

O secretário participou nesta quarta-feira do encerramento do 32º Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão, evento promovido pela Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), em Florianópolis.

Durante o evento, o secretário de políticas de Previdência Complementar, Jaime Mariz, também defendeu a aprovação do Funpresp – como deve ser chamado o fundo de pensão do funcionalismo – como uma ampla oportunidade para a expansão do sistema.

“A criação do Funpresp permite a manutenção do padrão salarial dos futuros servidores públicos, garante a liberação de recursos por parte do Governo e aumenta a poupança interna do país. Investir 15% do PIB em infraestrutura, como se faz hoje, é insuficiente. Esse projeto permite redesenhar o futuro do país”, defendeu Mariz.

Atualmente, os fundos de pensão brasileiros possuem um patrimônio superior a R$ 530 bilhões e beneficiam 2,8 milhões de pessoas, o que representa menos de 3% da População Economicamente Ativa (PEA) do país.

Já o diretor da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), Carlos de Paula, destacou o aumento da renda média do trabalhador brasileiro para o crescimento do setor de previdência complementar. De acordo com o diretor, é essencial para o país integrar o crescimento da nova classe média ao regime fechado de previdência, que hoje atinge menos de 3% da PEA.

Informações para a Imprensa
Ana Carolina Melo
(61) 2021-5311
Ascom/MPS

Informações para o Cidadão
Ligue 135

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR 1: Acordo entre MPS e Abrapp estimula investimento em projetos socialmente responsáveis

19/09/2011 19:57

Convênio é resultado de protocolo de intenções firmado entre Previdência Social e OIT

De Florianópolis (SC) – O Ministério da Previdência Social (MPS) e a Associação Brasileira de Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp) assinaram, nesta segunda-feira (19), acordo de cooperação técnica com o objetivo de definir uma agenda de promoção do trabalho decente. O convênio é resultado do protocolo de intenções firmado em junho entre o Ministério e a Organização Internacional do Trabalho (OIT) visando estimular os fundos de pensão a investirem os recursos dos seus participantes em projetos socialmente responsáveis.

O protocolo de intenções foi assinado pelo ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho, e o diretor-geral da OIT, Juan Somavia, durante a 100ª Reunião da Conferência Internacional do Trabalho, realizada em Genebra. A OIT e o Ministério da Previdência se comprometeram a trabalhar para incluir entre os critérios de seleção de investimentos dos fundos de pensão temas como o combate ao trabalho infantil e forçado, às práticas discriminatórias e às violações à liberdade sindical.

Já o acordo entre o Ministério e a Abrapp foi ratificado na noite desta segunda-feira durante o 32º Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão, que está sendo realizado até a próxima quarta-feira (21), em Florianópolis (SC). Além do ministro, também assinaram o documento o diretor-presidente e o presidente do Conselho Deliberativo da Abrapp, respectivamente José de Souza Mendonça e Fernando Antonio Pimentel de Melo; e o secretário de Políticas de Previdência Complementar, Jaime Mariz.

O acordo prevê ações como a verificação, por meio do balanço social ou de outras informações da empresa, se há políticas claras de não discriminação e políticas afirmativas com relação a mulheres, negros e portadores de deficiência. Também determina que os contratos de terceirização da empresa sejam avaliados para aferir se eles propiciam condições de igualdade de tratamento entre funcionários e terceirizados. Outro ponto é a valorização da empresa que mantém programa consistente de investimentos sociais.

Informações para a imprensa
Roberto Homem
(61) 2021.5453
Ascom/MPS

Informações para o Cidadão
Ligue 135

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR 2: Ministro ganha prêmio por defender fundo de pensão para servidor público

19/09/2011 19:56

Premiação aconteceu durante o 32° Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão

De Florianópolis (SC) – Abraçar o desafio de fazer avançar no Congresso Nacional o projeto do Executivo que institui o Fundo de Pensão dos Servidores Públicos Federais (Funpresp). Esse foi um dos motivos que levaram o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, a ser um dos dez escolhidos para receberem o prêmio nacional de seguridade social, organizado pela Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp).

“Conseguimos revitalizar um projeto que estava dormindo na Câmara dos Deputados desde 2007. Por meio dele, vamos estabelecer um teto para as aposentadorias do serviço público e criar um fundo de pensão. Mas essa alteração só vai valer para os que ingressarem no funcionalismo federal após a legislação entrar em vigor”, explicou o ministro Garibaldi Alves.

Já na sua 16ª edição, o prêmio foi entregue na noite desta segunda-feira durante o 32° Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão, que está sendo realizado em Florianópolis. Segundo o presidente da Abrapp, José de Souza Mendonça, o ministro está colocando a serviço do projeto de criação do fundo de pensão dos servidores sua capacidade de diálogo, de fazer os esforços convergirem e o seu comprometimento com o interesse público.

“A vitória do ministro será uma importante conquista para a previdência complementar em nosso país, que encontrará no setor público ainda melhores condições para o seu crescimento e o cumprimento da missão de servir aos brasileiros”, destacou José Mendonça.

Informações para a imprensa
Roberto Homem
(61) 2021.5453
Ascom/MPS

Informações para o Cidadão
Ligue 135

RÁDIO PREVIDÊNCIA: Tafic deve ser paga até 9 de setembro

06/09/2011 11:37

Tempo de áudio – 27 segundos

LOC/REPÓRTER: A Taxa de Fiscalização e Controle da Previdência Complementar, a Tafic, referente ao terceiro quadrimestre de 2011 deve ser paga, pelas entidades fechadas de previdência complementar, até o dia 9 de setembro, sexta-feira. A partir do dia 11, segunda-feira, incidirá multa de mora. Para efetuar o recolhimento da taxa, o usuário deve emitir a GRU, acessando a página da Previdencia Social: www.previdencia.gov.br.

De Brasilia, Renata Brumano

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: Previc divulga resultado do 4º Prêmio de Monografias

06/09/2011 10:00

Cerimônia de premiação será no 32ª Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão

Da Redação (Brasília) – A Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) publicou hoje (6), no Diário Oficial da União, portaria que oficializa o resultado do 4º Prêmio de Monografias. Em reunião realizada no dia 2 de setembro, na sede da Previc, a comissão julgadora decidiu premiar apenas um trabalho, utilizando como base o artigo 6º, parágrafo 2º, do edital que regulamenta o concurso. Esse parágrafo diz que “a Comissão Julgadora poderá decidir não conferir prêmio quando nenhuma das monografias possuir qualidade satisfatória ou não estiver adequada ao tema”.

O único vencedor da 4ª edição do prêmio de monografias concorreu no tema “Contrato Previdenciário”, é advogada, especialista em seguros e previdência privada e mestranda em Direito Comercial. Ivy Cassa, que assinou com o pseudônimo “Mitra”, atua como consultora, oferecendo suporte a seguradoras e entidades de previdência complementar na estruturação e viabilização de operações, criação de novos planos e produtos, revisão e elaboração de pareceres, entre outras atividades.

Premiação - A vencedora receberá um prêmio no valor de R$ 10 mil, em solenidade a ser realizada durante o 32º Congresso Brasileiro dos Fundos de Pensão. A iniciativa, que tem a finalidade de incentivar a pesquisa e a elaboração de trabalhos técnicos na área de previdência complementar, foi realizada em parceria com a Fundação Anfip de Estudos de Seguridade Social e com o sistema Abrapp/Sindapp.

Informações para a Imprensa
Inaiá Sant’Ana de Menezes
(61) 2021-2074
Ascom/MPS/Previc

Informações para o cidadão
Ligue 135

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: Tafic deve ser paga até 9 de setembro

06/09/2011 09:56

GRU pode ser emitida no endereço eletrônico da Previc

Da Redação (Brasília) – A Taxa de Fiscalização e Controle da Previdência Complementar (Tafic) referente ao terceiro quadrimestre de 2011 deve ser paga, pelas entidades fechadas de previdência complementar (EFPC), até o dia 9 de setembro de 2011, sexta-feira. A partir do dia 11 de setembro, segunda-feira, incidirá multa de mora nos termos do parágrafo único do Artigo 4º da Instrução/MPS nº 1, de 13 de abril de 2010.

Para efetuar o recolhimento da taxa, o usuário deve emitir a GRU, acessando o link: http://gruprevic.previdencia.gov.br. As dúvidas poderão ser esclarecidas no endereço eletrônico http://gruprevic.previdencia.gov.br/index.php?id=perguntas, acessando o link “Perguntas”. Caso o usuário não encontre a resposta desejada, poderá enviar uma e-mail para previc.cgoc@previdencia.gov.br.

A Intrução/Previc/MPS nº 3, de 21 de julho de 2011, publicada no Diário Oficial da União no dia 22 de julho de 2011, realiza modificações na Instrução/MPS nº01, de 2010.

O recolhimento da Tafic consta no artigo 12, da Lei nº 12.154, de 2009, e da Instrução Previc/MPS nº 1, de 2010.

Informações para a Imprensa
Inaiá Sant’Ana de Menezes
(61) 2021-2074
Ascom/MPS/Previc

Informações para o cidadão
Ligue 135

SERVIDORES: Comissão da Câmara conclui votação do PL 1992/2007

31/08/2011 15:46

Projeto pretende instituir regime de previdência complementar para os servidores federais

Da Redação (Brasília) – A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP) da Câmara dos Deputados concluiu nesta quarta-feira (31) a votação do Projeto de Lei 1992/ 2007, que pretende instituir o regime de previdência complementar para os servidores públicos da União. O mérito da proposta foi aprovado na última semana pela Comissão. Para a sessão de hoje estavam pendentes a votação de 12 destaques, que pretendiam alterar o texto do projeto. Todos os destaques foram rejeitados. A CTASP é a primeira das quatro comissões da Câmara pela qual o PL 1992 precisa ser analisado. A proposta tramita na Casa em regime de prioridade.

Após a aprovação na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP), a proposta segue para a Comissão de Seguridade Social e Família (CSSF) e depois para a de Finanças e Tributação (CFT), responsável pela avaliação do mérito e da adequação financeira da proposta. A última etapa é a avaliação da constitucionalidade do projeto pela Comissao de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Casa. A príncipio, a aprovação do PL 1992/07 não está sujeita a plenário, já que a proposição possui apreciação conclusiva pelas comissões. Se aprovada pela Câmara dos Deputados, a proposta será encaminhada ao Senado Federal, onde poderá sofrer alterações adicionais.

PL 1992/07 – O Projeto de Lei de previdência complementar para os servidores públicos federais pretende criar um fundo de pensão único – o Funpresp – para o quadro de servidores dos três poderes. Essa fundação tende a ser a maior entidade de previdência complementar fechada da América Latina. De acordo com o projeto, os atuais funcionários públicos da União não serão atingidos. A reforma só será aplicada aos novos servidores, aprovados em concurso público após a promulgação da lei. O novo regime proposto prevê contribuição paritária para o servidor e para a União até o limite de 7,5% no que excede ao teto do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), hoje fixado em R$ 3.691,74. São essas duas contribuições que vão formar a poupança responsável pelo pagamento do complemento das aposentadorias e pensões dos futuros servidores federais.

Informações para a Imprensa
Ana Carolina Melo
(61) 2021.5311
Ascom/MPS

Informações para o cidadão
Ligue 135

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: Mariz diz que futuros servidores poderão ter aposentadoria maior

29/08/2011 13:31

O projeto de Lei prevê a criação de uma fundação – o Funpresp – para o quadro de servidores dos três poderes

Da Redação (Brasília) – O secretário de políticas de Previdência Complementar do Ministério da Previdência Social, Jaime Mariz, apresentou hoje (29) simulações de como seriam as aposentadorias dos futuros servidores públicos, caso fossem regidos pelo regime de previdência complementar. Na maior parte dos casos, os servidores poderão alcançar uma aposentadoria superior do que a obtida pelo sistema atual.

Mariz esclareceu os principais pontos do Projeto de Lei 1992/2007, que pretende instituir a Previdência Complementar para os servidores públicos federais. O secretário destacou que o objetivo da proposta é regulamentar a Reforma da Previdência realizada pelo Governo Federal em 2003. O mérito da projeto foi aprovado na última quarta-feira (24) pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público (CTASP) da Câmara dos Deputados. O projeto não atinge os atuais servidores públicos.

O projeto de Lei prevê a criação de uma fundação – o Funpresp – para o quadro de servidores dos três poderes. Essa fundação tende a ser a maior entidade de previdência complementar fechada do mercado brasileiro. O secretário defendeu a aprovação do PL 1992 para a sustentabilidade do regime de previdência pública a longo prazo. De acordo com Mariz, a tendência é – se nada for feito – que a situação se agrave com o passar dos anos. Só nos próximos cinco anos, 40% do quadro atual da União – hoje formado por 1.111 milhão de servidores – terão condições para se aposentar. Só no ano de 2010, o regime de previdência dos servidores públicos federais foi responsável por um déficit orçamentário de R$ 51 bilhões. A expectativa é que este déficit apresente um crescimento de 10% em 2011.

Mariz defendeu ainda o PL 1992 como política de investimento para a infra-estrutura do país, essencial para o desenvolvimento brasileiro nas próximas décadas. O secretário argumentou que as críticas das centrais sindicais contrárias à aprovação da proposta são consequência do desconhecimento das entidades. Conforme Mariz, o projeto no Congresso respeita o direito adquirido e a expectativa de direito, garante manutenção de padrão de vida para os futuros servidores públicos, estanca o déficit crescente da previdência pública no médio prazo, além de elevar a poupança interna do país.

PL 1992/07 – O novo regime proposto prevê contribuição paritária para o servidor e para a União até o limite de 7,5% no que excede o teto do Regime Geral de Previdência Social (RGPS), hoje fixado em R$ 3.691,74. Até esse valor, o servidor contribuirá com 11%, como acontece atualmente. São essas duas contribuições – para a Previdência Social e para o fundo de pensão – que vão ser responsáveis pelo pagamento das aposentadorias e pensões dos futuros servidores. Em comparação ao regime atual, a maior parte dos servidores terão ganho real, caso optem por aderir ao Funpresp.

Informações para a Imprensa
Ana Carolina Melo
(61) 2021.5311
Ascom/MPS

AVISO DE PAUTA: Secretário da SPPC concede entrevista coletiva sobre o PL 1992/2007

26/08/2011 14:15

Projeto pretende instituir o regime de previdência complementar para os servidores dos três poderes

Da Redação (Brasília) – O secretário de políticas de Previdência Complementar do Ministério da Previdência Social, Jaime Mariz, concede entrevista coletiva nesta segunda-feira (29), a respeito do Projeto de Lei 1992/2007. A proposta pretende instituir o regime de previdência complementar aos servidores públicos federais.

A entrevista coletiva será às 10h, no 9° andar, do edifício sede do Ministério da Previdência Social, Blobo F, na Esplanada dos Ministérios.

Data: 29/8
Hora: 10h
Local: Ministério da Previdência Social – auditório do 9º andar

Informações para a Imprensa
Ana Carolina Melo
(61) 2021-5113
Ascom/MPS

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: Prazo para inscrição no 4º Prêmio Previc de Monografias termina dia 29

27/07/2011 15:36

Inscrições poderão ser feitas até no site da Fundação Anfip

Da Redação (Brasília) – As inscrições para o 4º Prêmio de Monografias, promovido pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), em parceria com a Fundação Anfip de Estudos de Seguridade Social e com o sistema Abrapp/Sindapp, terminam no próximo dia 29 de julho, sexta feira.

O formulário para inscrição está disponível na página da Fundação Anfip (www.fundacaoanfip.org.br) e, além desse documento, os candidatos deverão enviar os trabalhos impressos e por meio magnético à Fundação Anfip, via Correios (EBCT), até a data limite para as inscrições.

Temas – Os temas escolhidos para esta edição estão em consonância com a agenda de trabalho dos diversos atores do setor. São eles: “O Fomento na Previdência Complementar; Contrato Previdenciário; e A Governança nos Fundos de Pensão”. Em cada tema o candidato deverá, necessariamente, abordar todos os itens apresentados no edital. No primeiro tema o candidato deverá discorrer sobre: os obstáculos encontrados para o crescimento da previdência complementar e apresentar estratégias para superá-los; a inovação como instrumento para o crescimento sustentável; e a revisão de planos e criação de produtos com o objetivo de ampliação do sistema.

Dentro do tema “Contrato Previdenciário”, as abordagens obrigatórias são: a solução de conflitos por meio de conciliação, mediação e arbitragem, versus judicialização das controvérsias; a independência patrimonial dos planos de benefícios das EFPC; e o direito adquirido, direito acumulado e expectativa de direito (caracterização e efeitos), são os tópicos que deverão ser contemplados.

No último tema proposto pede-se que o autor fale sobre a identificação, prevenção e solução de conflitos de interesse; a qualificação profissional, abrangendo a educação contínua e a certificação; e, por fim, trate do equilíbrio na relação com as partes: a transparência, responsabilidade e segurança da informação.

Os primeiros colocados em cada tema, além do prêmio em dinheiro – R$ 10 mil – terão seus trabalhos publicados pela Previc e receberão a premiação no 32º Congresso Brasileiro de Fundos de Pensão, que será em setembro. A Comissão Julgadora poderá, ainda, conceder duas menções honrosas, com direito a certificado e publicação do trabalho.

Informações para a Imprensa
Inaiá Sant’Ana de Menezes
(61) 2021 2074
Ascom/Previc/MPS

REGIMES PRÓPRIOS: Conaprev elege nova diretoria

21/06/2011 13:57

Secretário Leonardo Rolim é o presidente do Conselho

Da Redação (Brasília) – O Conselho Nacional dos Dirigentes de Regimes Próprios de Previdência Social (Conaprev) elegeu nesta manhã (21) sua nova diretoria. A eleição ocorreu durante a 37ª reunião ordinária do Conaprev, em Brasília. O secretário de Políticas de Previdência Social do Ministério da Previdência, Leonardo Rolim, foi conduzido ao cargo de presidente do Conselho, com mandato de dois anos, conforme regimento interno do Conaprev.

A vice-presidência do Conaprev foi assumida pelo dirigente do Instituto de Previdência do Estado de São Paulo, Carlos Henrique Flory. O cargo de segunda vice-presidência foi disputado por dois conselheiros nas urnas, Walkíria Wiziack, do município de Curitiba, e José Anchieta, do estado do Acre. O dirigente do estado do Acre, José Anchieta, obteve a maioria dos votos. Os mandatos destes dois cargos também serão de dois anos.

Informações para a Imprensa
Natália Oliveira
(61) 2021.5113
Ascom/MPS

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: Gabas lança EsportePrev no Museu de Futebol

15/06/2011 10:22

Plano de previdência complementar beneficiará inicialmente 6 mil atletas em todo o país

Da Redação (Brasília) – O ministro interino da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, e o ministro dos Esportes, Orlando Silva, lançaram na noite desta terça-feira (14), no Museu do Futebol, em São Paulo, o EsportePrev, plano de previdência complementar que beneficiará atletas de todo o país. A previsão é que, inicialmente, o plano beneficie mais de seis mil jogadores de futebol.

Estruturado na modalidade Contribuição Definida (CD), o EsportePrev foi criado por meio de um convênio de adesão entre a Fundação Petrobrás de Seguridade Social (Petros) – entidade fechada de previdência complementar (EFPC) que irá administrar o plano de benefícios – e seis sindicatos de atletas profissionais do país, que serão os instituidores.

A adesão ao plano será feita por meio do vínculo associativo, ou seja, o atleta deve ser filiado a algum dos sindicatos instituidores para poder contribuir e, futuramente, receber os benefícios complementares. Os benefícios previstos pelo EsportePrev são aposentadoria por contribuição, por invalidez e pensão por morte.

Foram definidos como instituidores do Esporteprev o Sindicato dos Atletas de Futebol do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Sul, do Rio Grande do Norte, Paraíba, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Previdência Associativa – Nos últimos anos setores importantes ingressaram nos fundos de pensão por meio de uma novidade da Lei Complementar 109/2001: a previdência associativa. Com o objetivo de democratizar o acesso à Previdência Complementar, viabilizou-se a criação de fundos de pensão por meio do vínculo associativo. Essa modalidade conta hoje com mais de 200 mil participantes.

Informações para a Imprensa
Ana Carolina Melo
(61) 2021-5113
Ascom/MPS

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: Palestras do IV Seminário de Educação Previdenciária estão disponíveis no site da Previc

13/06/2011 11:53

Certificados serão enviados posteriormente

Da Redação (Brasília) – A Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) disponibilizou os arquivos das palestras ministradas no IV Seminário de Educação Previdenciária em seu endereço eletrônico. O seminário, que foi promovido pela Previc e pela Secretaria de Políticas de Previdência Complementar (Sppc), foi realizado nos dias 1º e 2 de junho, em Brasília.

As apresentações estão disponíveis no link: http://www.mpas.gov.br/conteudoDinamico.php?id=953. Para acessá-las basta clicar no título do evento. A Previc e a SPPC informam, ainda, que os certificados de participação estão sendo providenciados e em breve serão enviados por meio do e-mail cadastrado pelos participantes no dia do seminário.

Informações para a Imprensa
Inaiá Sant’Ana de Menezes
(61) 2021 2074
ASCOM/Previc/MPS

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: Aberto o IV Seminário sobre educação previdenciária

01/06/2011 12:02

Os fundos de pensão apresentam suas experiências em programas de educação previdenciária

Da Redação (Brasília) – O secretário de Previdência Complementar do Ministério da Previdência Social, Jaime Mariz, e o diretor superintendente da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), José Maria Rabelo, abriram na manhã desta quarta-feira (1º), na sede da Previc, o “IV Seminário sobre Educação Previdenciária”.

Durante o evento, que segue até amanhã (2), representantes de entidades fechadas de previdência complementar de todo o país apresentam diferentes experiências no desenvolvimento de programas de educação previdenciária. O objetivo do seminário é proporcionar aos participantes uma ampla percepção sobre as etapas de formulação desses projetos, além da diversidade de opções encontradas pelas instituições.

Na abertura do evento, o secretário Jaime Mariz falou em defesa da ampliação da cobertura previdenciária brasileira e da importância da expansão do regime de previdência complementar. De acordo com o secretário, uma política de educação previdenciária consolidada – capaz de influenciar a população jovem – é fundamental para essa expansão. O secretário destacou o potencial dos fundos de pensão para a ampliação dos investimentos em infra-estrutura para o país.

Segundo o diretor-superintendente da Previc, José Maria Rabelo, educação previdenciária representa um grande desafio para a sociedade brasileira. O superintendente defendeu a intensificação dessa discussão e de oportunidades de compartilhamento de experiências. Para Rabelo, é fundamental que o público das entidades tenha consciência do que representa educação financeira e previdenciária. Ele defendeu ainda uma maior integração dos participantes na gestão dos fundos.

Durante os dois dias de evento serão discutidos temas que vão desde pesquisas realizadas para levantar necessidades dos participantes, e integração de ações com patrocinadores e instituidores, até uma visão sobre os custos dos programas e o perfil de investimentos nos projetos de educação previdenciária e financeira.

Além de 88 fundos de pensão de todo o país, participam do seminário representantes da equipe do Programa de Educação Previdenciária do Instituto Nacional do Seguro Social, da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar e da Associação Nacional dos Participantes dos Fundos de Pensão. As conclusões do evento poderão ser conferidas na página eletrônica da Previc.

Informações para a imprensa
Ana Carolina Melo
(61) 2021-5113
Ascom/MPS