Portal do Governo Brasileiro
Menu

GFIP: Empresas devem apresentar a Guia nesta quinta-feira (7)

07/04/2005 08:09

A apresentação é necessária mesmo para estabelecimentos sem empregados

De Maceió (AL) – As empresas têm até hoje (7) para apresentar a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP), referente ao mês de março. As empresas que não pagam FGTS, por não possuírem empregados, também devem entregar a Guia. Nesse caso a GFIP funciona como um documento apenas informativo, com os dados dos sócios e trabalhadores autônomos.

As empresas são obrigadas a entregar a guia por meio do programa Conectividade Social, disponível no site da Caixa Econômica Federal. Para ter acesso, entretanto, a empresa deve obter a certificação eletrônica em uma das agências da Caixa.

Por meio da GFIP, as empresas recolhem o FGTS e informam o nome dos empregados, o valor dos seus salários, licenças, férias, as condições de trabalho e os valores devidos ao INSS. Também são informados o nome e a remuneração dos sócios e prestadores de serviço.

As informações prestadas na GFIP são incorporadas ao Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), um banco de dados que reúne informações a respeito das atividades trabalhistas dos brasileiros. Esse sistema permite a concessão automática dos benefícios previdenciários sem a necessidade de os segurados apresentarem documentos que comprovem salários e vínculos trabalhistas. (SCS/AL)

GFIP: Empresas devem apresentar a Guia nesta quinta-feira (7)

06/04/2005 08:02

A apresentação é necessária mesmo para estabelecimentos sem empregados

De Maceió (AL) – As empresas têm até quinta-feira (7) para apresentar a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP), referente ao mês de março. As empresas que não pagam FGTS, por não possuírem empregados, também devem entregar a Guia. Nesse caso a GFIP funciona como um documento apenas informativo, com os dados dos sócios e trabalhadores autônomos.

As empresas são obrigadas a entregar a guia por meio do programa Conectividade Social, disponível no site da Caixa Econômica Federal. Para ter acesso, entretanto, a empresa deve obter a certificação eletrônica em uma das agências da Caixa.

Por meio da GFIP, as empresas recolhem o FGTS e informam o nome dos empregados, o valor dos seus salários, licenças, férias, as condições de trabalho e os valores devidos ao INSS. Também são informados o nome e a remuneração dos sócios e prestadores de serviço.

As informações prestadas na GFIP são incorporadas ao Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), um banco de dados que reúne informações a respeito das atividades trabalhistas dos brasileiros. Esse sistema permite a concessão automática dos benefícios previdenciários sem a necessidade de os segurados apresentarem documentos que comprovem salários e vínculos trabalhistas. (SCS/AL)

GFIP: A partir deste mês, Guia só poderá ser entregue pela Internet

07/03/2005 09:06

Empresas deverão obter certificação digital para enviar as informações

Da Redação (Brasília) – A partir deste mês de março, a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência (GFIP) deve ser enviada ao Ministério da Previdência Social (MPS) somente pela Internet. A medida faz parte da Portaria Ministerial 227, de 25 de fevereiro deste ano. As empresas devem obter a certificação digital para enviar as informações.

De acordo com o diretor do Departamento de Administração da Receita Previdenciária, Francisco Leite da Silva, o principal objetivo dessa medida é agilizar o processamento das guias, que passam a chegar diretamente no sistema de dados da Previdência, sem necessidade de um pré-processamento ou digitalização das informações.

Além da agilidade, serão eliminadas algumas etapas no processamento das informações, o que deve conferir mais confiabilidade aos dados uma vez que haverá uma manipulação menor e, portanto, com menor possibilidade de erros. A partir de maio, novas mudanças serão feitas na GFIP, que poderá ser retificada. Atualmente, as guias podem sofrer modificações a partir do envio de informações complementares, o que causa confusão no momento de se processar os dados. Com a guia retificadora, as informações prestadas anteriormente serão desconsideradas.

Para enviar a GFIP pela Internet, é necessário acessar o site da Caixa Econômica Federal (www.cef.gov.br) e baixar o programa “Conectividade Social”. Após obter o programa, o usuário deve preencher um formulário, também disponível no site, e levar essas informações, junto com os documentos exigidos, a uma agência da CEF para receber uma certificação digital, que é uma senha para permitir o envio da GFIP pela Internet. (Mauricio Athayde)

GFIP: Empresas devem apresentar a Guia nesta segunda-feira (7)

07/03/2005 09:03

A apresentação é necessária mesmo para estabelecimentos sem empregados

De Maceió (AL) – As empresas têm até hoje (7) para apresentar a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP), referente ao mês de fevereiro. As empresas que não pagam FGTS, por não possuírem empregados, também devem entregar a Guia. Nesse caso a GFIP funciona como um documento apenas informativo, com os dados dos sócios e trabalhadores autônomos.

As empresas são obrigadas a entregar a guia por meio do programa Conectividade Social, disponível no site da Caixa Econômica Federal. Para ter acesso, entretanto, a empresa deve obter a certificação eletrônica em uma das agências da Caixa.

Por meio da GFIP, as empresas recolhem o FGTS e informam o nome dos empregados, o valor dos seus salários, licenças, férias, as condições de trabalho e os valores devidos ao INSS. Também são informados o nome e a remuneração dos sócios e prestadores de serviço.

As informações prestadas na GFIP são incorporadas ao Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), um banco de dados que reúne informações a respeito das atividades trabalhistas dos brasileiros. Esse sistema permite a concessão automática dos benefícios previdenciários sem a necessidade de os segurados apresentarem documentos que comprovem salários e vínculos trabalhistas. (SCS/AL)

GFIP: A partir deste mês, Guia só poderá ser entregue pela Internet

04/03/2005 09:16

Empresas deverão obter certificação digital para enviar as informações

Da Redação (Brasília) – A partir deste mês de março, a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência (GFIP) deve ser enviada ao Ministério da Previdência Social (MPS) somente pela Internet. A medida faz parte da Portaria Ministerial 227, de 25 de fevereiro deste ano. As empresas devem obter a certificação digital para enviar as informações.

De acordo com o diretor do Departamento de Administração da Receita Previdenciária, Francisco Leite da Silva, o principal objetivo dessa medida é agilizar o processamento das guias, que passam a chegar diretamente no sistema de dados da Previdência, sem necessidade de um pré-processamento ou digitalização das informações.

Além da agilidade, serão eliminadas algumas etapas no processamento das informações, o que deve conferir mais confiabilidade aos dados uma vez que haverá uma manipulação menor e, portanto, com menor possibilidade de erros. A partir de maio, novas mudanças serão feitas na GFIP, que poderá ser retificada. Atualmente, as guias podem sofrer modificações a partir do envio de informações complementares, o que causa confusão no momento de se processar os dados. Com a guia retificadora, as informações prestadas anteriormente serão desconsideradas.

Para enviar a GFIP pela Internet, é necessário acessar o site da Caixa Econômica Federal (www.cef.gov.br) e baixar o programa “Conectividade Social”. Após obter o programa, o usuário deve preencher um formulário, também disponível no site, e levar essas informações, junto com os documentos exigidos, a uma agência da CEF para receber uma certificação digital, que é uma senha para permitir o envio da GFIP pela Internet. (Mauricio Athayde)

GFIP: Empresas devem apresentar a Guia na segunda-feira (7)

04/03/2005 09:02

A apresentação é necessária mesmo para estabelecimentos sem empregados

De Maceió (AL) – As empresas têm até segunda-feira (7) para apresentar a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP), referente ao mês de fevereiro. As empresas que não pagam FGTS, por não possuírem empregados, também devem entregar a Guia. Nesse caso a GFIP funciona como um documento apenas informativo, com os dados dos sócios e trabalhadores autônomos.

As empresas são obrigadas a entregar a guia por meio do programa Conectividade Social, disponível no site da Caixa Econômica Federal. Para ter acesso, entretanto, a empresa deve obter a certificação eletrônica em uma das agências da Caixa.

Por meio da GFIP, as empresas recolhem o FGTS e informam o nome dos empregados, o valor dos seus salários, licenças, férias, as condições de trabalho e os valores devidos ao INSS. Também são informados o nome e a remuneração dos sócios e prestadores de serviço.

As informações prestadas na GFIP são incorporadas ao Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), um banco de dados que reúne informações a respeito das atividades trabalhistas dos brasileiros. Esse sistema permite a concessão automática dos benefícios previdenciários sem a necessidade de os segurados apresentarem documentos que comprovem salários e vínculos trabalhistas. (SCS/AL)

SERVIÇOS: A partir deste mês, GFIP só poderá ser entregue pela Internet

01/03/2005 10:01

Empresas deverão obter certificação digital para enviar as informações

Da Redação (Brasília) – A partir deste mês, a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência (GFIP) deverá ser enviada ao Ministério da Previdência Social (MPS) somente pela Internet. A medida faz parte da Portaria Ministerial 227, de 25 de fevereiro deste ano, e foi publicada ontem (28) no Diário Oficial da União (DOU). As empresas deverão obter a certificação digital para enviar as informações.

De acordo com o diretor do Departamento de Administração da Receita Previdenciária, Francisco Leite da Silva, o principal objetivo dessa medida é agilizar o processamento das guias, que passam a chegar diretamente no sistema de dados da Previdência, sem necessidade de um pré-processamento ou digitalização das informações.

Além da agilidade, serão eliminadas algumas etapas no processamento das informações, o que deverá conferir mais confiabilidade aos dados já que haverá uma manipulação menor e, portanto, com menor possibilidade de erros. A partir de maio, novas mudanças serão feitas na GFIP, que poderá ser retificada. Atualmente, as guias podem sofrer modificações a partir do envio de informações complementares, o que causa confusão no momento de se processar os dados. Com a guia retificadora, as informações prestadas anteriormente serão desconsideradas.

Para enviar a GFIP pela Internet, será necessário acessar o site da Caixa Econômica Federal (www.cef.gov.br) e baixar o programa “Conectividade Social”. Após obter o programa, o usuário deverá preencher um formulário, também disponível no site, e levar essas informações, junto com os documentos exigidos, a uma agência da CEF para receber uma certificação digital, que é uma senha para permitir o envio da GFIP pela Internet. (Mauricio Athayde)

SERVIÇOS: A partir de março, GFIP só poderá ser entregue pela Internet

28/02/2005 18:29

Empresas deverão obter certificação digital para enviar as informações

Da Redação (Brasília) – A partir de março, a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência (GFIP) deverá ser enviada ao Ministério da Previdência Social (MPS) somente pela Internet. A medida faz parte da Portaria Ministerial 227, de 25 de fevereiro deste ano, e foi publicada hoje no Diário Oficial da União (DOU). As empresas deverão obter a certificação digital para enviar as informações.

De acordo com o diretor do Departamento de Administração da Receita Previdenciária, Francisco Leite da Silva, o principal objetivo dessa medida é agilizar o processamento das guias, que passam a chegar diretamente no sistema de dados da Previdência, sem necessidade de um pré-processamento ou digitalização das informações.

Além da agilidade, serão eliminadas algumas etapas no processamento das informações, o que deverá conferir mais confiabilidade aos dados já que haverá uma manipulação menor e, portanto, com menor possibilidade de erros. A partir de maio, novas mudanças serão feitas na GFIP, que poderá ser retificada. Atualmente, as guias podem sofrer modificações a partir do envio de informações complementares, o que causa confusão no momento de se processar os dados. Com a guia retificadora, as informações prestadas anteriormente serão desconsideradas.

Para enviar a GFIP pela Internet, será necessário acessar o site da Caixa Econômica Federal (www.cef.gov.br) e baixar o programa “Conectividade Social”. Após obter o programa, o usuário deverá preencher um formulário, também disponível no site, e levar essas informações, junto com os documentos exigidos, a uma agência da CEF para receber uma certificação digital, que é uma senha para permitir o envio da GFIP pela Internet. (Mauricio Athayde)

SERVIÇOS: Empresa que não apresenta GFIP prejudica empregado

10/01/2005 13:13

Guia traz informações dos trabalhadores e alimenta cadastro da Previdência

De São Paulo (SP) – As empresas devem emitir, mensalmente, a Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social (GFIP), pela qual elas recolhem o FGTS de seus funcionários. Esse documento é fundamental, pois, além de servir para o recolhimento do FGTS, contém importantes dados cadastrais dos trabalhadores, que são incorporados ao Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS).

Os dados do CNIS servem de base para o INSS conceder com maior rapidez os benefícios, como aposentadorias, pensões, e auxílios. Na falta dessas informações no CNIS, a conclusão do processo do benefício será mais demorada, porque dependerá da visita de um servidor do INSS à empresa, além de outras providências.

Por meio da GFIP, as empresas informam o nome de seus empregados, o valor dos salários, licenças, férias, as condições de trabalho, e os valores devidos ao INSS. Além disso, são informados o nome e a remuneração dos sócios e prestadores de serviços.

Entrega da GFIP é obrigatório – Não entregar a GFIP, ou apresentá-la com informações incorretas, acarreta aos seus responsáveis multas que variam de meio a 50 salários mínimos, de acordo com o número de empregados (Lei nº 8.212/91), além de sanções previstas na Lei 8.036/90. O pagamento da multa por não entregar a GFIP também não supre a falta desse documento e impede a empresa de obter a Certidão Negativa de Débito (CND).

As empresas devem entregar a GFIP no dia 7 de cada mês, nos bancos conveniados. O documento pode ser enviado por meio de disquetes, de home banking, ou pela Internet, pelo site www.caixa.gov.br. (ACS/SP)

SRP: Empresas devem observar preenchimento da GFIP em dezembro

15/12/2004 10:55

Receita Previdenciária alerta para erros ao preencher documento

De Salvador (BA) – O Núcleo Fiscal de Orientação em GFIP, da Unidade Descentralizada em Salvador da Secretaria da Receita Previdenciária(SRP), orienta as empresas no sentido de observarem o campo destinado às informações das contribuições previdenciárias incidentes sobre o 13º salário, no fechamento da Guia do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social (GFIP), referente ao mês de dezembro.

A orientação se faz necessária tendo em vista o grande número de empresas que preenchem o documento de forma incorreta. A empresa não deve declarar o valor do 13º salário anual de cada trabalhador no campo Base de Cálculo 13º Salário Previdência Social – Referente à Competência do Movimento, no “MOVIMENTO DO TRABALHADOR”, alerta a chefe do Núcleo Fiscal, Adélia Martins da Matta.

De acordo com o Manual da GFIP, este campo só é preenchido quando se tratar de afastamento definitivo do empregado, GFIP com informação de trabalhador avulso, GFIP de reclamatória trabalhista, ou no caso de ajuste de remuneração variável na competência 12.

A empresa deve declarar o valor descontado do segurado e o valor devido à Previdência Social (desconto do segurado + cotas patronais + terceiros – dedução do 13º salário correspondente ao período de licença maternidade – compensação) calculados com base na folha do 13º salário, no campo “Declaração para o INSS – Competência 13, no MOVIMENTO DA EMPRESA”.

O preenchimento incorreto desses campos da GFIP gera apropriação da remuneração do 13º na competência 12, e prejudica a emissão de Certidão Negativa de Débito (CND), uma vez que o valor apresentado na GFIP não vai coincidir com o valor recolhido na Guia da Previdência Social (GPS), por ocasião do cruzamento das informações da GFIP com os valores recolhidos na GPS. (Josy Lima)

GFIP: Empresa que não apresenta guia prejudica empregado

27/07/2004 10:43

Guia de recolhimento contém informações dos trabalhadores e alimenta CNIS

De São Paulo (SP) – As empresas devem emitir mensalmente a Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social (GFIP), pela qual elas recolhem o FGTS de seus funcionários. Esse documento é fundamental, pois, além de servir para o recolhimento do FGTS, contém importantes dados cadastrais dos trabalhadores que são incorporados ao Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS). Os dados do CNIS servem de base para o INSS conceder benefícios com maior rapidez, como aposentadorias pensões e auxílios. Na falta dessas informações no CNIS, a conclusão do processo do benefício é mais demorada, porque depende da visita de um servidor do INSS à(s) empresa(s), além de outras providências.

Por meio da GFIP, as empresas informam o nome de seus empregados, o valor dos salários, licenças, férias, as condições de trabalho e os valores devidos ao INSS. Além disso, são informados o nome e a remuneração dos sócios e prestadores de serviços.

Para o auditor fiscal Darcley Alkaim, da Gerência Executiva do INSS em Osasco (SP), algumas empresas, preocupadas em não confessar suas dívidas, ou por razões de outra natureza, evitam preencher a GFIP ou simplesmente negligenciam a sua veiculação. “Com isso, elas acabam não informando nada e os trabalhadores ficam com dificuldades para comprovar seu vínculo e saem prejudicados em seus direitos, atribuindo-se, injustamente, a culpa pela demora na concessão dos benefícios ao INSS”, diz.

Vencimento – As empresas devem entregar a GFIP no dia 7 de cada mês nos bancos conveniados. O documento pode ser enviado por meio de disquetes, de home banking ou pela Internet, pelo site www.caixa.gov.br (entrar em “Para a Sua Empresa – Produtos e Serviços”, clicar em “FGTS” e, após, abrir nova tela, clicar em “Conectividade Social “. Em seguida, clicar em “Saiba mais”, logo abaixo das siglas “GPS-CRF”. Na tela que se abrir, seguir as instruções no texto apresentado para a veiculação da GFIP via Internet). Mesmo as empresas que não pagam FGTS por não terem empregados devem apresentar a GFIP. Nesse caso, a guia funciona como um documento apenas informativo.

Não entregar a GFIP, ou apresentá-la com informações incorretas, acarreta aos seus responsáveis multas que variam de 1/2 a 50 salários mínimos, de acordo com o número de empregados (Lei nº 8.212/91), além de sanções previstas na Lei 8.036/90. O pagamento da multa pela não entrega da GFIP também não supre a falta desse documento e impede a empresa de obter a Certidão Negativa de Débito (CND). (NR/JEF)

FISCALIZAÇÃO: Goiânia/GO testa inscrição automática na divida ativa

01/03/2004 15:19

Valores declarados na GFIP e não repassados serão automaticamente inscritos

De Goiânia (GO) – A Gerência Executiva do INSS em Goiânia inicia, a partir deste mês, um projeto piloto de cobrança. Trata-se da inscrição automática em dívida ativa dos valores declarados pelas empresas na Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (Gfip) e não recolhidos ao INSS em tempo hábil. Após o piloto na Gerência Goiânia, o sistema poderá ser estendido a todo o País.

Com o sistema atualmente em utilização, a cobrança dos débitos previdenciários depende da interferência de um auditor-fiscal. Com a cobrança automática, o empresário declara a remuneração dos seus empregados na Gfip e um sistema informatizado compara o que foi declarado com os valores efetivamente recolhidos por meio da Guia da Previdência Social (GPS). Caso haja divergência, é gerada automaticamente uma Intimação de Pagamento (IP) dos débitos apurados.

Ao receber a intimação o empresário tem a opção de gerar uma GPS na Internet para pagamento, caso concorde com os cálculos. Também pode procurar o INSS para parcelamento da dívida ou esclarecimentos. O não pagamento implica em inscrição do débito na dívida ativa, inscrição no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin) e arrolamento de bens para execução da dívida. Caso haja apropriação indébita, a empresa é denunciada ao Ministério Público Federal. (FJC/JEF)

Recolhimento da Gfip vence nesta sexta-feira (7)

05/03/2003 16:07

Empresas devem preencher a guia utilizando a nova versão do sistema 6.0

Da Redação (Brasília) – Vence nesta sexta-feira (7) o prazo para que as empresas entreguem a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (Gfip), competência fevereiro/2003. Os contribuintes do INSS devem preencher o documento utilizando a nova versão do Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (sefip).

O aplicativo está disponível nos sites www.mps.gov.br e www.caixa.gov.br. Além da versão 6.0, a Previdência Social oferece aos contribuintes os novos manuais de preenchimento da Gfip e dos Formulários Retificadores (RDE,RDT e RRD – modelo 3).

A guia tem duas finalidades impoprtantes: permite o recolhimento do FGTS e informa todos os fatos geradores de contribuições à Previdência Social, inclusive as remunerações dos trabalhadores, os valores devidos ao INSS, as condições de trabalho, entre outras. (RE/JEF)

INSS cria nova versão para preenchimento da GFIP

26/02/2003 11:28

Manuais de preenchimento e de retificadores estão disponíveis na Internet

Da Redação (Brasília) – O INSS acaba de aprovar a nova versão do Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (Sefip), com vigência a partir da competência fevereiro/2003. O sistema é o instrumento disponibilizado aos contribuintes para que cumpram a obrigação legal de entregar, mensalmente, a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência SOcial (GFIP).

Juntamente com a versão 6.0 do aplicativo, a Previdência Social disponibiliza os novos manuais de preenchimento da GFIP e dos Formulários Retificadores (RDE, RDT e RRD – modelo 3). Com vinte alterações, entre elas a possibilidade de informações exclusivas de valores pagos a cooperativas de trabalho e também com dados de retenção, o novo modelo do Sefip foi desenvolvido em parceria com a Caixa Econômica Federal. Os contribuintes podem obter a nova versão do Sefip e os dois manuais nos sites www.mps.gov.br e www.caixa.gov.br.

Mais de 800 mil empresas entregam mensalmente a GFIP. O documento tem duas finalidades distintas. Primeiro, permite o recolhimento do FGTS e, segundo, informa todos os fatos geradores de contribuições à Previdência Social, inclusive as remunerações dos trabalhadores, os valores devidos ao INSS, as condições de trabalho, entre outras. A partir das informações contidas na Guia, foi possível automatizar os benefícios concedidos aos segurados, o que se traduz em melhoria na qualidade do atendimento.

A GFIP da competência fevereiro deve ser entregue até o dia sete de março próximo, utilizando a nova versão. Não precisam entregar o documento os contribuintes individuais que não remuneram prestadores de serviço; segurados especiais; empregador doméstico que não optou pelo recolhimento do FGTS e órgãos públicos em relação aos seus servidores estatutários filiados ao regime próprio de previdencia. (RE/JEF)

Empresas devem entregar GFIP amanhã (7)

06/02/2003 09:09

Os dados declarados na Guia garantem aos trabalhadores direitos como aposentadoria, auxílios e pensões

Da Redação (Brasília) – As empresas e empregadores devem entregar, na sexta-feira (7), a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP). A entrega é referente a janeiro e pode ser feita em qualquer agência da Caixa Econômica Federal, por meio eletrônico, como disquete ou Internet.

Além de recolher o FGTS, a Guia permite à Previdência Social saber a relação de todos os funcionários da empresa e suas respectivas remunerações, bem como os valores devidos ao INSS. Todos os motivos que levam a empresa a contribuir com a Previdência Social devem constar no preenchimento da GFIP. Mesmo a empresa que não possui empregados, deve entregar os dados de seus sócios e acionistas. Quem perde o prazo ou informa valores inferiores aos realmente pagos aos empregados, prejudica os trabalhadores e fica sujeito a multa por sonegação fiscal no valor de até R$ R$ 82.785,16.

As informações da GFIP permitem a concessão dos benefícios da Previdência Social sem a necessidade do segurado apresentar documentos que comprovem vínculos empregatícios e salários, de 1994 até hoje.

Boletim Informativo GFIP - A Secretaria Executiva do Ministério da Previdência Social lançou, em junho de 2000, o Boletim Informativo GFIP – Indicadores do Mercado de Trabalho Formal das Empresas. O objetivo desse Boletim é acompanhar as estatísticas relativas ao mercado de trabalho formal brasileiro. A revista traz dados como, por exemplo, a quantidade de empregados expostos a agentes nocivos e o salário médio pago a eles. Com o Boletim, a Previdência Social inovou, divulgando informações até então desconhecidas. (GR/JEF)