Anuário Estatístico da Previdência Social 2004 – Seção XVII – Indicadores Econômicos

Publicado: 01/05/2013 13:49
Última modificação: 31/07/2015 16:47

Seção XVII – Indicadores Econômicos

Tabelas

Texto Explicativo

Esta seção apresenta os indicadores econômicos que têm sido usados pela Previdência Social para calcular e reajustar o valor de benefícios, determinar o piso e o teto de prestações pecuniárias, estabelecer alterações no valor das contribuições de segurados, corrigir o valor de débitos de empresas e calcular valores associados às sentenças judiciais.

São mostradas informações do valor do salário mínimo, do índice geral de preços, do índice de preço ao consumidor e da taxa de câmbio do dólar, tendo como fonte o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, a Fundação Getúlio Vargas – FGV, o Diário Oficial da União – DOU e o Banco Central do Brasil – BACEN.

A seguir são apresentados os conceitos das informações desta seção: A seguir são apresentados os conceitos das informações desta seção:

Salário Mínimo – valor da contra prestação mínima devida e paga diretamente pelo empregador, por mês normal de serviço.

Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna – IGP-DI – indicador de comportamento do nível geral de preços da economia brasileira. É obtido pela média ponderada do Índice de Preços por Atacado – IPA, que participa com 60%; com o Índice de Preços ao Consumidor – IPC da cidade do Rio de Janeiro, com a participação de 30%; e, com o Índice Nacional de Custo da Construção – INCC, com o peso de 10%. É calculado pela Fundação Getúlio Vargas – FGV.

Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC – índice de preço ao consumidor das famílias com rendimento mensal entre 1 e 8 salários mínimos. É uma média aritmética ponderada de índices elaborados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE para nove regiões metropolitanas brasileiras mais o Distrito Federal e o município de Goiânia.

Dólar – valor da taxa de câmbio (cotação de venda de mercado) do dólar americano (medida em R$/US$).

QUADRO XVIII.1 – HISTÓRICO DAS
ALTERAÇÕES DA MOEDA NACIONAL

PLANO ECONÔMICO   MOEDA VIGENTE SÍMBOLO   PERÍODO DE VIGÊNCIA  FUNDAMENTO LEGAL  EQUIVALÊNCIA
Real R Período colonial até 7/10/1833 Alvará S/N, de 1/09/1808 R 1$200 = 1/8 de ouro de 22K
Mil Réis Rs 8/10/1833 a 31/10/1942 Lei n.º 59, de 8/10/1833 Rs 2$500 = 1/8 de ouro de 22K
Cruzeiro Cr$ 1/11/1942 a 30/11/1964 Decreto-Lei n.º 4.791, de 5/10/1942 Cr$ 1,00 = Rs 1$000
(um cruzeiro corresponde a mil-réis)
Cruzeiro
(eliminados os centavos)
Cr$  1/12/1964 a 12/02/1967 Lei n.º 4.511, de 1/12/1964 Cr$ 1 = Cr$ 1,00
Cruzeiro Novo
(volta dos centavos)
 NCr$ 13/02/1967 a 14/05/1970 Decreto-Lei n.º 1, de 13/11/1965 NCr$ 1,00 = Cr$ 1.000
Cruzeiro Cr$ 15/05/1970 a 14/08/1984 Resolução do Banco Central (BACEN)
n.º 144, de 31/03/70
Cr$ 1,00 = Ncr$ 1,0
 Cruzeiro
(eliminados os centavos)
Cr$ 15/08/1984 a 27/02/1986 Lei n.º 7.214, de 15/08/84   Cr$ 1 = Cr$ 1,00
Cruzado I – Fev/86
Cruzado II – Jun/87
Cruzado
(volta dos centavos)
 Cz$ 28/02/1986 a 15/01/1989 Decreto-Lei n.º 2.283, de 27/02/1986 Cz$ 1,00 = Cr$ 1.000
Verão I – Jan/89
Verão II – Mai/89
Cruzado Novo NCz$ 16/01/1989 a 15/03/1990 Medida Provisória n.º 32, de 15/01/1989, convertida na Lei n.º 7.730, de 31/01/1989   NCz$ 1,00 = Cz$ 1.000,00
Collor I – Mar/90
Collor II – Jan/91
Cruzeiro Cr$ 16/03/1990 a 31/07/1993 Medida Provisória n.º 168, de 15/03/1990, convertida na Lei n.º 8.024, de 12/04/1990 Cr$ 1,00 = NCz$ 1,00
Transição para o Real – Ago/93 Cruzeiro Real  CR$ 1/08/1993 a 30/06/1994 Medida Provisória n.º 336, de 28/07/1993, convertida na Lei n.º 8.697, de 27/08/1993, e Resolução BACEN n.º 2.010, de 28/07/1993 CR$ 1,00 = Cr$ 1.000,00
Real – Jul/94 Real R$ Desde 1/07/1994 Leis n.º 8.880, de 27/05/1994 e 9.069, de 29/06/1995 R$ 1,00 = CR$ 2.750,00

FONTE: Banco Central e IOB – Informações Objetivas