FORÇA-TAREFA

Duas mulheres são presas em Cabo de Santo Agostinho (PE)

Publicado: 15/05/2020 07:52
Última modificação: 15/05/2020 08:20
As envolvidas tentaram receber auxílios-reclusão fraudulentos. Ação evitou um prejuízo de R$ 220 mil

A Força-Tarefa Previdenciária e Trabalhista deteve, na última quarta-feira (13), duas mulheres que tentavam sacar os valores de três benefícios de auxílio-reclusão obtidos de forma fraudulenta. Elas foram presas em flagrante em uma agência bancária de Cabo de Santo Agostinho (PE).

A Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT) da Secretaria de Previdência e Trabalho identificou que três pessoas estavam tentando receber altos valores atrasados referente a três auxílios-reclusão. Após constatar que houve irregularidades na documentação comprobatória de encarceramento apresentada ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a CGINT acionou a autoridade policial que efetuou a condução das duas mulheres. Uma das fraudadoras se fez passar por representante legal dos benefíciários e a outra por procuradora cadastrada perante o INSS.

De acordo com a CGINT, a ação evitou um prejuízo da ordem de R$ 220 mil, relacionado ao dinheiro que as duas mulheres não conseguiram sacar. No entanto, a ação proporcionou, ainda, uma economia adicional de pelo menos R$ 876 mil, considerando valores que seriam pagos futuramente aos supostos beneficiários, caso o esquema não tivesse sido detectado.

As suspeitas foram conduzidas até a Delegacia de Repressão aos Crimes Previdenciários (DELEPREV) da Superintendência da Polícia Federal (PF) em Recife. Apesar dos esforços, a terceira suposta beneficiária não foi localizada.

Voltar para o topo