FORÇA-TAREFA

Fraude em pensões por morte é alvo de operação no Pará

Publicado: 13/02/2020 11:01
Última modificação: 13/02/2020 11:01
Com a utilização de documentos falsos, criminosos desviaram mais de R$ 200 mil

A Força-Tarefa Previdenciária e Trabalhista deflagrou, nesta quinta-feira (13), a operação Tartufo, no estado do Pará. A ação desarticulou uma associação criminosa especializada em fraudar a Previdência, mediante a utilização de documentos falsos. Foi cumprido um mandado de busca e apreensão na cidade de Belém.

Os criminosos fraudavam pensões por morte a partir da criação de pessoas fictícias e posterior simulação de casamentos e óbitos.  Após a obtenção indevida dos benefícios previdenciários, o grupo criminoso conseguia ainda realizar empréstimos consignados e adquirir bens em nome das pessoas fictícias.

Um dos envolvidos na operação de hoje pertence ao mesmo grupo investigado em outra ação da Força-Tarefa Previdenciária, a Operação Pseudocídio, deflagrada em setembro de 2017. A Pseudocídio apurou fraudes em diversos benefícios de pensão por morte e Benefícios de Prestação Continuada (BPC/Loas) de amparo ao idoso no Pará.

De acordo com a Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT) da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, o prejuízo estimado foi de pelo menos R$ 200 mil, podendo aumentar com o decorrer do trabalho. Entretanto, a ação proporcionará uma economia de mais de R$ 1,9 milhão, considerando valores que seriam pagos, de acordo com a expectativa de sobrevida média da população brasileira.

Os envolvidos responderão pelos crimes de associação criminosa, estelionato, falsificação de documento público e uso de documento falso.

 

Voltar para o topo