COMBATE ÀS FRAUDES

Operação em Roraima descobre fraude em benefícios previdenciários

Publicado: 11/12/2019 08:36
Última modificação: 11/12/2019 08:49
Criminosos contavam com a participação de agenciadores da Guiana, país que faz fronteira com o estado brasileiro

A Força-Tarefa Previdenciária desarticulou, na manhã desta quarta-feira (11), uma organização criminosa especializada em fraudar benefícios previdenciários. Ao todo, foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão nas cidades de Boa Vista e Bonfim, situadas no estado de Roraima. As ordens foram expedidas pela 1ª Vara Federal de Roraima

A investigação teve início a partir de denúncias recebidas pela Polícia Federal em Roraima que apontavam possíveis irregularidades na concessão de benefícios previdenciários. A organização criminosa beneficiava supostos índios e contava com a participação direta de agenciadores brasileiros e guianenses. A cidade de Bonfim fica situada na fronteira com a Guiana.

Em seguida, análises realizadas pela Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT) da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia apontaram que a fraude abrangia várias espécies de benefícios, em especial o salário maternidade.

A CGINT estima um prejuízo de pelo menos R$ 1,9 milhão com o pagamento de benefícios previdenciários obtidos de forma indevida. No entanto, a economia alcançada com a desarticulação do esquema criminoso pode chegar a R$ 4,9 milhões, referente a valores futuros, que continuariam sendo pagos aos supostos beneficiários, considerando a expectativa de sobrevida média da população brasileira, segundo o IBGE.

Participaram da operação 23 policiais e quatro servidores da CGINT. Recebeu o nome latim TERMINUM, em alusão ao seu significado: além fronteiras, se referindo ao envolvimento de agenciadores brasileiros e estrangeiros na fraude, que atuavam na falsificação de documentos.

 

 

Voltar para o topo