COMBATE ÀS FRAUDES

Força-Tarefa Previdenciária prende duas pessoas no Pará

Publicado: 08/08/2019 12:32
Última modificação: 08/08/2019 12:32
Criminosos utilizavam documentos falsos para obter benefícios por via judicial

A Força-Tarefa Previdenciária prendeu, nesta quinta-feira (8), duas pessoas acusadas de fraudar benefícios previdenciários no Pará. Além das prisões temporárias, a Operação Trampolina cumpriu 15 mandados de busca e apreensão nos municípios paraenses de Abaetetuba, Moju, Castanhal, Igarapé-Açu e Maracanã. A Justiça Federal no estado determinou ainda o bloqueio de contas bancárias de quatro envolvidos.

As investigações constataram que o grupo criminoso, integrado por advogados atuantes na área previdenciária, aliciava pessoas que tiveram seus requerimentos indeferidos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Com isso, ajuizavam ações previdenciárias junto à Justiça Federal, com a inserção de documentos de identidade falsos, para obter a concessão indevida de benefícios, gerando a emissão de Requisição de Pequenos Valores (RPV). Esse documento determina o pagamento, por parte do poder público, dos valores que devem ser pagos ao segurado.

O prejuízo estimado, até o momento, é de R$ 2,6 milhões, incluindo os valores das RPV e dos benefícios pagos pelo INSS.

Os investigados responderão pelos crimes de estelionato, de falsificação e uso de documentos falsos e de organização criminosa, entre outros que poderão ser identificados no decorrer das investigações. Se condenados, poderão cumprir pena de até 21 anos de reclusão.

A operação contou com a participação de 42 policiais federais e de sete servidores da Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT) da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. Recebeu o nome de Trampolina em alusão ao significado da palavra: trapaça, esperteza.

 

Informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação
(61) 2021-5109/5009
Secretaria de Previdência
Voltar para o topo