COMBATE ÀS FRAUDES

Cunhado e neta de aposentado já falecido são presos sacando o benefício em São Paulo

Publicado: 29/04/2019 20:11
Última modificação: 03/05/2019 14:55
Prejuízo estimado com a fraude é de R$ 251,8 mil

Duas pessoas foram presas em flagrante, em São Paulo (SP), nesta segunda-feira (29), em operação da Força-Tarefa Previdenciária. Um idoso e uma mulher sacavam mensalmente o benefício de um segurado que morreu há 21 anos. A investigação começou depois que servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) suspeitaram do possível óbito do titular da aposentadoria por tempo de contribuição no valor de um salário mínimo. O CPF do segurado, nascido em 9 de junho de 1922, já estava suspenso na Receita Federal.

Investigadores ouviram relatos de vizinhos no endereço cadastrado nos sistemas do INSS e foram informados de que o titular do benefício já havia morrido havia muitos anos. A Polícia Federal, em parceria com a Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT) da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, aprofundou as análises para a caracterização do modus operandi da fraude e identificou o local dos saques fraudulentos.

O idoso preso era cunhado do beneficiário falecido e se passava por este, inclusive nas provas de vida. Nos saques, ele ia acompanhado da neta do falecido, que também foi presa. O valor sacado na data de hoje foi apreendido pela Polícia Federal.

Segundo informações da neta, o segurado morreu em 8 de janeiro de 1998, há 21 anos. Pelo tempo decorrido entre o óbito do titular e a duração dos saques pelo falsário, em valores brutos, estima-se um prejuízo de R$ 251.862,55, já aplicadas as devidas correções monetárias.

Informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação Social
(61) 2021-5109
Secretaria de Previdência
Voltar para o topo