COMBATE ÀS FRAUDES

Grupo criminoso que ameaçava servidores é alvo de operação

Publicado: 04/09/2018 11:15
Última modificação: 04/09/2018 11:15
Os acusados já foram investigados em outra ação da Força-Tarefa por fraudar auxílios-reclusão em São Paulo

Após ameaça a servidores públicos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a Força-Tarefa Previdenciária cumpriu um mandado de prisão preventiva e nove de busca e apreensão, na manhã desta terça-feira (4), durante a operação Recidiva. Os mandados foram cumpridos nas cidades de São Paulo, Praia Grande, Diadema, Ribeirão Pires e Aguai, todas no estado de São Paulo.

O grupo criminoso já foi investigado em outra ação da Força-Tarefa (Operação Púnico), deflagrada em abril deste ano. A forma de atuar foi a mesma: os acusados continuavam ameaçando servidores do INSS para obter benefícios previdenciários com a inserção de dados falsos nos sistemas da instituição.  Eles eram especializados em criar e conceder benefícios a pessoas que não tinham direito a eles, no caso auxílios-reclusão fraudulentos para familiares de presos que não haviam feito uma única contribuição à Previdência.

Na operação Púnico, a polícia prendeu três pessoas, mas o chefe de uma agência do INSS em Santo André (SP) continuou sendo ameaçado pelo grupo. As investigações continuaram e levaram à identificação da líder do grupo, pessoa presa na ação de hoje. Além dela, foi cumprido um mandado de prisão contra o homem preso em abril na operação Púnico.

Pelo fato de os servidores terem feito denúncia, não houve prejuízo à Previdência dessa vez, já que novos desvios foram evitados.

Os investigados responderão pelos crimes de inserção de dados falsos em sistemas informatizados da União, estelionato, ameaça e organização criminosa, com penas que variam de um mês a 13 anos de prisão.

Força-Tarefa Previdenciária – Parceria entre a Secretaria de Previdência, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal que atua no combate a crimes contra o sistema previdenciário. Na Secretaria de Previdência, a COINP é responsável por identificar e analisar distorções que envolvam indícios de fraudes estruturadas contra a Previdência.

 

Informações para a imprensa
Camilla Andrade
(61) 2021-5109/5009
Secretaria de Previdência
Voltar para o topo