COMBATE ÀS FRAUDES: Força Tarefa desarticula quadrilha no Rio que fraudava pensões por morte

Publicado: 08/12/2015 19:38
Última modificação: 08/12/2015 19:38

Foram identificadas sete pensões por morte fraudulentas

Da Redação (Brasília) – A Força-Tarefa Previdenciária desarticulou, na manhã desta terça-feira (8), uma quadrilha que fraudava pensões por morte no estado do Rio de Janeiro. Durante a operação Fantasma, uma pessoa foi presa, preventivamente, e foram cumpridos ainda dois mandados de busca e apreensão. A fraude não teve a participação de nenhum servidor público.

Para garantir as pensões, a organização criminosa utilizava documentos falsos – como certidão de casamento, certidão de óbito e carteira de identificação – tanto para o instituidor do benefício quanto para o beneficiário. A Assessoria de Pesquisa Estratégica e Gerenciamento de Riscos (APEGR) do Ministério do Trabalho e Previdência Social identificou, por meio do cruzamento  de informações em banco de dados do INSS e de cartórios, que os documentos apresentados para a concessão das pensões não tinham registro em órgãos oficiais, caracterizando a inexistência dos beneficiários.

Ao todo, foram identificadas sete pensões por morte fraudulentas. O prejuízo identificado até o momento é de R$ 792.087,14. No entanto, ao considerar a expectativa de sobrevida desses beneficiários, evitou-se um prejuízo de cerca de R$ 10,5 milhões.

A Força Tarefa Previdenciária é uma ação conjunta entre Ministério do Trabalho e Previdência Social, Polícia Federal e Ministério Público Federal, que visa combater crimes contra o sistema previdenciário. Na Previdência, a APEGR é a área de inteligência responsável por identificar distorções em sistemas de informação previdenciária e encaminhá-las para investigação à Polícia Federal.

 

Informações para Imprensa:

Camilla Andrade

(61) 2021-5109

Ascom/Previdência Social