SERVIDORES PÚBLICOS: Ministro Miguel Rossetto assina acordo com TCU para aprimorar fiscalização dos regimes próprios

Publicado: 17/11/2015 14:18
Última modificação: 17/11/2015 18:14

Convênio prevê auditoria coordenada, capacitação de servidores e cooperação técnico-científica entre os órgãos

Ministro Miguel Rossetto fala no TCU em evento que debateu sustentabilidade da Previdência. Foto: Erasmo Salomão/MTPS. Mais fotos

Ministro Miguel Rossetto fala no TCU em evento que debateu sustentabilidade da Previdência. Foto: Erasmo Salomão/MTPS. Mais fotos

Da Redação (Brasília) – O Ministério do Trabalho e Previdência Social e o Tribunal de Contas da União firmaram hoje (17) Acordo de Cooperação Técnica que prevê a capacitação de servidores para possibilitar a auditoria coordenada de regimes próprios pelo TCU e tribunais de contas estaduais e municipais.

“Fiscalizar os regimes previdenciários é nossa responsabilidade. Esta cooperação técnica é uma troca de compromissos fundamental para aumentar nossa capacidade de responder a este compromisso e um marco no aprimoramento dos nossos processos”, afirmou o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, durante a cerimônia.

O acordo foi assinado pelo vice-presidente do tribunal, ministro Raimundo Carreiro, o ministro Miguel Rossetto, o ministro do TCU, Vital do Rêgo, e o secretário especial da Previdência Social, Carlos Gabas. O Acordo tem vigência de três anos, prorrogáveis.

O convênio aconteceu na abertura do seminário “Diálogo Público: Sustentabilidade dos Regimes Previdenciários no Brasil”, realizado no TCU com presença de ministros, governadores e técnicos. “Este seminário traz luz no desafio de equalizar conquistas sociais com exigências demográficas e de sustentabilidade da Previdência”, afirmou o ministro Rossetto.

Um modelo de supervisão integrada dos regimes próprios dos servidores públicos já está em andamento. Desde agosto, técnicos dos Tribunais de Contas dos Estados e dos Municípios de todo o país estão sendo capacitados em “Gestão e Fiscalização dos RPPS”, na modalidade de educação à distância. A previsão é de que a primeira auditoria coordenada por esses tribunais aconteça no início de 2016. Com o convênio, além da realização de auditoria coordenada de regimes próprios e da capacitação de servidores, haverá intercâmbio de informações, cooperação técnico-científica entre os órgãos e atividades conjuntas de educação corporativa.

 

Leia também: Acordo entre Previdência e TCU vai aprimorar a fiscalização dos regimes próprios

 

Informações para Imprensa:

(61) 2021 5009 / 5109

Ascom/MPS