FORÇA-TAREFA: Investigação de denúncia ao MTPS desmonta quadrilha no Maranhão

Publicado: 24/11/2015 11:16
Última modificação: 24/11/2015 15:44

Organização criminosa falsificava documentos para concessão de benefícios de amparo social ao idoso

Da Redação (Brasília) – A Força-Tarefa Previdenciária, integrada pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social – MTPS,

Carros apreendidos pela Polícia Federal durante a operação Quilópode. Foto: Divulgação.

Carros apreendidos pela Polícia Federal durante a operação Quilópode. Foto: Divulgação.

Departamento de Polícia Federal e Ministério Público Federal, com a finalidade de reprimir crimes previdenciários, deflagrou na manhã de terça-feira (24), a Operação Quilópode, que investigou sete cidades maranhenses (São Luis, Vargem Grande, Caxias, Codó, Presidente Dutra, Barreirinha e Paço do Lumiar) e também a capital do Piauí, Teresina.

As investigações, iniciadas no ano de 2012, a partir do recebimento de denúncia e de batimentos de dados realizado pela Assessoria de Pesquisa Estratégica e de Gerenciamento de Riscos (APEGR) do MTPS, levaram à identificação de um esquema criminoso no qual eram falsificados documentos públicos para fins de concessão de benefícios de Amparo Social ao Idoso.

Os titulares eram pessoas fictícias, criadas virtualmente. A organização criminosa atuava desde 2010 e contava, ainda, com a participação de um servidor do INSS responsável pela concessão e atualização dos benefícios, além de funcionários de instituições bancárias que atuavam na abertura de contas correntes, na realização de prova de vida, na renovação de senha bancária e na efetivação de empréstimos consignados. O prejuízo, inicialmente identificado, é de cerca de R$ 10,8 milhões.

Segundo Marcelo Henrique de Ávila, chefe da APEGR, “os 288 benefícios com indícios de irregularidades detectados em apenas uma amostragem feita pela Inteligência Previdenciária denotam o alto poder ofensivo de mais essa quadrilha desarticulada pela Força-Tarefa”.

A APEGR é o órgão central da inteligência previdenciária, responsável pela execução de ações referentes ao combate de ilícitos e gerenciamento de riscos contra o sistema previdenciário.

Durante a operação, a Polícia Federal cumpriu 37 mandados judiciais, sendo dez de prisão preventiva, 22 de busca e apreensão e cinco de condução coercitiva, além do sequestro e arresto de bens e valores. Dentre os Mandados Judiciais consta, ainda, a determinação para que o INSS suspenda o pagamento de 288 benefícios assistenciais, submetendo-os a procedimento revisional. Os envolvidos poderão ser indiciados por crimes contra o Sistema Financeiro Nacional.

A Operação contou com a participação de cem Policiais Federais e de cinco servidores do MTPS, sendo denominada “Quilópode”, palavra de origem grega que significa “aquela que tem mil patas”, em alusão ao esquema criminoso que apresentou grande ramificação.

Informações para Imprensa:

(61) 2021 5009 / 5109

Ascom / Previdência Social