COMBATE À FRAUDE II: Força Tarefa Previdenciária prende 28 pessoas na Paraíba

Publicado: 09/09/2015 10:46
Última modificação: 09/09/2015 10:46

Prejuízo ultrapassa R$ 3 milhões mas, se não fosse identificada a fraude, poderia passar de R$ 100 milhões

 

Da Redação (Brasília) – A Força Tarefa Previdenciária prendeu, nesta quarta-feira (9), 28 pessoas na Paraíba, sendo 17 prisões preventivas e 11 temporárias. Elas são acusadas de fraudar aposentadorias e pensões do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

A quadrilha utilizava documentação fraudulenta para comprovar suposto exercício de atividade rural e, em muitos casos, chegava a conceder aposentadoria rural com base apenas em “entrevista”, sem juntar qualquer documentação. Imediatamente após a concessão, eram incluídos empréstimos consignados, principalmente por meio de operadoras de crédito e financeiras.

A organização criminosa também atuava na concessão de pensões por morte, com a utilização de documentos irregulares como, por exemplo, atestados de óbito falsos.

Estima-se que a atuação do grupo tenha causado um prejuízo de mais de R$ 3 milhões aos cofres públicos, considerando benefícios efetivamente pagos desde o mês de outubro de 2014 (quando foram detectadas as fraudes). Mas, quando considerada a expectativa de sobrevida dos supostos beneficiários, o prejuízo evitado poderia ultrapassar os R$ 100 milhões.

Além das prisões, a Força Tarefa Previdenciária cumpriu 30 mandados de busca e apreensão nas cidades de João Pessoa, Campina Grande, Patos, Cajazeiras, Puxinanã, Mogeiro e Caturité, além de Recife (PE).

Os investigados responderão pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, inserção de dados falsos em sistema de informação do governo e estelionato.

A Operação, intitulada “Fanes”, contou com a participação de 140 policiais federais e 16 servidores da Previdência Social. O termo que denomina a operação faz referência ao mito grego da “Criação”, uma vez que os investigados “criavam” pessoas supostamente passíveis de serem beneficiárias da Previdência Social. (Ascom/MPS – Ascom/PF)