APOSENTADORIA: Ministro da Previdência pede apoio aos governadores do Nordeste para que regra 85/95 progressiva seja aprovada

Publicado: 17/07/2015 15:51
Última modificação: 17/07/2015 18:27

Medida em tramitação no Congresso prevê aposentadoria por tempo de contribuição integral quando a soma da idade e o tempo de contribuição totalizam 85  (mulheres) e 95 (homens)

De Teresina (PI) – O ministro da Previdência Social, Carlos Gabas, pediu aos governadores do Nordeste, reunidos nesta sexta-

Ministro Carlos Gabas pede apoio aos governadores do Nordeste para aprovação da regra 85/95 progressiva para as aposentadorias. Foto: Erasmo Salomão/MPS

Ministro Carlos Gabas pede apoio aos governadores do Nordeste para aprovação da regra 85/95 progressiva para as aposentadorias. Foto: Erasmo Salomão/MPS

feira (17), em Tersina (PI), que apoiem a Medida Provisória 676 que tramita no Congresso Nacional.  A MP prevê aposentadoria por tempo de contribuição pelo teto do benefício quando a soma da idade e do tempo de contribuição totaliza 85 (mulheres) e 95 (homens), até  dezembro 2016. A partir de 2017, para afastar o uso do fator previdenciário, a soma da idade e do tempo de contribuição terá de ser 86, se mulher, e 96, se homem. A MP limita esse escalonamento até 2022, quando a soma para as mulheres deverá ser de 90 pontos e para os homens, 100.

“É necessário avançar na progressividade”, avaliou o ministro que participou do 4º encontro de governadores do Nordeste  a convite dos governadores dos estados da região que debateram a situação da previdência dos servidores públicos, entre outros assuntos. Durante o encontro, o ministro observou que o Brasil conseguiu estruturar um regime de previdência com características próprias. “Precisamos  fazer um debate dando ênfase à nossa estrutura previdenciária que é uma das melhores do mundo. O modelo solidário garante o pagamento de benefícios, em média, por 21 anos”, afirmou.

“Previdência Social é uma questão do Estado brasileiro, por isso não dá pra fazer disputa política com essa questão. Temos de garantir a sustentabilidade da Previdência para esta e para as próximas gerações”, alertou o ministro.

Informações para a imprensa

(61)2021-5779

Ascom/MPS