ACORDOS INTERNACIONAIS: Brasil e Uruguai vão avaliar aplicação de acordo previdenciário na fronteira

Publicado: 26/06/2015 19:09
Última modificação: 29/06/2015 15:05
Ministro Carlos Gabas recebe ministro uruguaio Ernesto Murro para tratar de acordo entre os dois países

Ministro Carlos Gabas recebe ministro uruguaio Ernesto Murro para tratar de acordo entre os dois países. Foto:Erasmo Salomão/MPS

Ministro Gabas se encontra com ministro uruguaio Ernesto Murro. Eles conversaram sobre as regras adotadas nos dois países

 

Da Redação (Brasília) – Regras previdenciárias do Brasil e do Uruguai foi o tema da conversa entre o ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas, e o ministro do Trabalho e Seguridade Social do Uruguai, Ernesto Murro, nesta sexta-feira (26). Durante a visita, no MPS, Gabas combinou com o uruguaio um encontro em agosto próximo, juntamente com o ministro brasileiro do Trabalho, Manoel Dias, para avaliar a aplicação do acordo multilateral na área de previdência, além de regras que são aplicadas aos trabalhadores dos dois países.

A reunião deverá acontecer em Santana do Livramento (RS), que faz fronteira com a cidade uruguaia de Rivera. “Ainda há entraves para a aplicação plena dos acordos na região de fronteira entre o Brasil e o Uruguai”, afirmou Gabas, explicando o objetivo do encontro.

O ministro Ernesto Murro comentou a adoção das novas regras previdenciárias brasileiras, já em vigor, que tratam da pensão por morte, entre outros temas. No Uruguai, por exemplo, a pensão para os cônjuges é de dois anos para quem tem menos de 40 anos de idade. A partir daí até 49 anos de idade, a pensão dura cinco anos e só é vitalícia para quem tem 50 anos de idade ou mais – independentemente do número e da idade dos filhos.

 

Ascom/MPS