COMBATE ÀS FRAUDES: Força tarefa realizou 68 operações em 2013

Publicado: 13/01/2014 16:01
Última modificação: 13/01/2014 16:02

Ação resultou em 90 prisões e 242 mandados de busca e apreensão

Da Redação (Brasília)- A Força-Tarefa Previdenciária em conjunto com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal realizou 68 operações em 2013 que  resultaram em 90 prisões. Dessas, 42 foram em flagrante e onze prisões foram de servidores públicos envolvidos nas ações fraudulentas. Ao todo foram cumpridos 242 mandados de buscas e apreensões.  Além disso, o balanço do ano passado revela que foram realizadas 39 ações de conduções coercitivas, ou seja, quando a pessoa é obrigada a colaborar com a investigação.

A condução coercitiva acontece, por exemplo, nos casos de operações que envolvam benefícios por incapacidade em que segurado é conduzido coercitivamente para que seja submetido à perícia médica , ou quando a pessoa é levada à presença de autoridade policial ou judiciária. Em ambos os casos, a pessoa é obrigada a comparecer.  Estima-se que o prejuízo total resultante dessas fraudes tenha sido de R$ 118,2 milhões.

A última operação realizada no ano passado, batizada de Matrix, ocorreu no estado de Alagoas. Durante a ação foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, oito mandados de condução coercitiva, além de seis medidas cautelares de afastamento de servidores públicos de suas funções. A Operação Matrix resultou de investigações sobre concessão indevida de benefícios assistenciais pela Previdência nas cidades de Maceió e Santana do Ipanema.

As investigações revelaram o envolvimento de uma rede composta por aliciadores que utilizavam “laranjas” e documentos falsos para fraudar benefícios previdenciários com ajuda de servidores do INSS. Estima-se que a ação do grupo tenha gerado um prejuízo de R$ 30 milhões  aos cofres públicos.

Informações para a imprensa

Ligia Borges

(61) 2021-5779

Ascom/MPS

Voltar para o topo