DF: Pagamento do 13º começa na segunda (25)

Publicado: 22/11/2013 16:58
Última modificação: 22/11/2013 17:03

Serão investidos R$ 507,7 milhões no DF

De Brasília (DF) – Os depósitos da segunda parcela do 13º salário para os segurados do Instituto Nacioonal do Seguro Social (INSS) começam na próxima segunda-feira (25), juntamente com o pagamento da folha de novembro, que segue até o dia 6 de dezembro. Serão investidos R$ 507.785.770,70 na folha de novembro no Distrito Federal (DF), referentes a 352.008 benefícios. Destes, 273.479 benefícios têm direito à gratificação natalina, com valor correspondente a R$ 160.348.089,45.

A diferença entre a quantidade de benefícios da folha e o número de benefícios com direito à gratificação ocorre porque nem todos os segurados têm direito a receber o 13º. Por lei, os segurados que recebem benefícios assistenciais (LOAS) não têm direito ao 13º salário. O contracheque pode ser acessado na página da Previdência Social na Internet (www.previdencia.gov.br). Basta procurar “Serviços ao Cidadão” e clicar em “Extrato de Pagamento”.

Calendário- Os depósitos começam nesta segunda-feira (25), para os segurados que recebem até um salário mínimo e possuem cartão com final 1, desconsiderando-se o dígito. Os segurados que recebem acima do mínimo terão seus benefícios creditados a partir do dia 2 de dezembro.
Valor da segunda parcela do 13º – Aposentados e pensionistas, em sua maioria, receberão 50% do valor do benefício. Haverá desconto de IR nesta parcela. A exceção é para quem passou a receber o benefício depois de janeiro. Neste caso, o valor será calculado proporcionalmente.
Os segurados que estão em auxílio-doença também recebem uma parcela menor que os 50%. Como esse benefício é temporário, o INSS calcula a antecipação proporcional ao período.

Histórico- A primeira antecipação do 13º dos aposentados do INSS foi em 2006, resultado de acordo firmado entre o governo e as entidades representativas de aposentados e pensionistas. O acordo estabelecia que a antecipação ocorresse até 2010. O governo, atendendo à reivindicação dos aposentados, manteve a antecipação este ano, colaborando, também, para o aquecimento da economia. (José Eduardo Formosinho, com ACS/MPS)