Mais três fraudadores da Previdência são presos

Publicado: 01/12/2000 17:51
Última modificação: 30/10/2014 16:16

Juiz expediu mandato de prisão para mais dez pessoas

Da Redação (Brasília) – Mais três membros da quadrilha do fraudador do INSS Carlos Roberto Pereira Dória foram presos, ontem, em São Paulo, pela Polícia Federal. São Hildo Donizete da Silva, vulgo Preto, preso em São Sebastiao, sua filha Raisa Magalhães, além de Rosana Batista do Nascimento, ambas presas na cidade de São Paulo.

As prisões foram determinadas na semana passada pelo juiz da Segunda Vara Federal em São José dos Campos, Carlos Alberto Loverra, que expediu mandado contra 13 integrantes da quadrilha. Hildo Donizete da Silva foi detido quando visitava Carlos Dória na prisão, por agentes da Polícia Federal, que montavam guarda para ver quem visitava o detento. Imediatamente, a polícia da capital foi acionada conseguindo localizar Raisa Magalhães e Rosana Batista do Nascimento.

Carlos Dória foi detido na cidade de Limeira no dia 14 de novembro e está preso em São Sebastião. Ele atuava no Estado de São Paulo desde 1996, falsificando carteiras de trabalho, atestados médicos e laudos psiquiátricos para solicitar auxílio-doença para “doentes mentais”. Na hora da perícia médica, os “doentes” simulavam desequilíbrio mental, recebendo propina pelo serviço.

Ele comandou as quadrilhas na Freguesia do Ó, na cidade de São Paulo, e de Americana, mas com ramificações em todo o Estado. Encaminhava uma média de dez pessoas por semana ao INSS, dando um prejuízo estimado em mais de R$ 1 milhão.

Outros dois membros da quadrilha foram presos no dia 13 de dezembro do ano passado: Cleonice Evangelista Souza Carvalho, que cumpre pena em Caçapava, e Paulo Sérgio Lima, preso em São José dos Campos. Ambos estão condenados a seis anos de prisão.

Voltar para o topo